5 minutos de leitura

Ter uma aula de informática por semana ou usar tablets em sala de aula uma vez a cada mês está muito longe de alcançar os impactos que as tecnologias no século 21 aliadas à educação já poderiam proporcionar.

 

Em um mundo onde as novas gerações já nascem conectadas à dispositivos eletrônicos o tempo todo, agindo de forma intuitiva e natural com gadgets e informações, as tecnologias poderiam deixar de ser um problema para se tornar uma solução nas salas de aula.

 

Pilhas de cadernos, agendas e planilhas de papel já foram substituídas por arquivos no computador, facilitando o fechamento de notas, o controle de presenças, a emissão do histórico dos alunos. Provas já são elaboradas com o uso de softwares, internet e editores de texto.

 

Saindo da parte administrativa, o que antes se restringia ao uso de multimídias como suporte para as aulas, na apresentação de imagens, vídeos, sons, animações e infográficos, hoje se expande para a geração de experiências ativas a partir da tecnologia. Experiências estas que auxiliam o aluno a imergir de forma mais profunda nos conteúdos e nas práticas de cada aprendizado.

 

Como inserir a tecnologia na educação?

 

tecnologia na educação

Students practise on their iPads at the Steve Jobs school in Sneek August 21, 2013. The Steve Jobs schools in the Netherlands are founded by the O4NT (Education For A New Time) organisation, which provides the children with iPads to help them learn with a more interactive experience. REUTERS/Michael Kooren (NETHERLANDS – Tags: SOCIETY EDUCATION SCIENCE TECHNOLOGY) – GM1E98L1FQB01

 

Se existe uma coisa que a tecnologia faz na vida dos alunos é provar que eles têm potencial de criação e podem usar esses meios para isso. O principal ponto ao inserir a tecnologia na educação é mostrar como ela funciona, qual a lógica de programação por trás de todas as aplicações que eles utilizam diariamente. Sim, nós devíamos estar ensinando programação para crianças.

 

Para além disso, é possível inserir ferramentas e softwares de criação no conteúdo escolar como forma de incentivar a criação em meios digitais. Oficinas de edição e criação de imagem, vídeo, som são extremamente úteis para o futuro profissional em diversas áreas de atuação.

 

De forma mais acessível, já são inúmeros os aplicativos que cumprem com as mesmas funções de forma mais simples e gratuita, com jogos e interações que realmente colocam o aluno para agir utilizando seus conhecimentos.

 

Novas tecnologias na educação

 

As crianças que estão vivendo os problemas atuais dentro das escolas e da sociedade são as mesmas que terão potencial e contexto para solucionar esses problemas com as tecnologias que estão ganhando força agora. Por isso, é importante apresentar desde cedo para as crianças ferramentas como a inteligência artificial, impressão 3D, machine learning, internet das coisas e tantas outras tecnologias emergentes.

 

Mas como fazer essas tecnologias chegarem até as escolas? Como levar os alunos de encontro a elas? O melhor caminho é a partir de parcerias com centros de inovação e instituições que fomentam esse tipo de aprendizado. Um exemplo é a Estação Hack, projeto do Facebook em parceria com a Mastertech.

 

O que impede esse avanço?

 

tecnologia na educação

 

Na grande maioria das vezes: recursos. Sabemos que os investimentos em educação no Brasil são baixos e o incentivo dessas novas formas de aprendizado está longe de ser ideal. Por isso é tão importante unir forças para lutar por esses direitos e apoiar projetos de educação alternativa, que procuram parcerias e geram oportunidades nesse sentido.

 

Além disso, é preciso trabalhar ao lado de profissionais qualificados no ensino das novas tecnologias, treinando professores e administradores para lidar com as mudanças que esse tipo de ensino acarreta. E essa luta vale a pena, pois os benefícios da tecnologia na educação não se restringem apenas à tornar os conteúdos mais atraentes, facilitar o alcance à informações ou promover a criatividade.

 

Com a aplicação consciente da tecnologia na escola é possível combater o cyberbullying e outras formas de preconceito, reduzir a distração causada pelos smartphones e aparelhos mobile, equilibrar o tempo que os estudantes dedicam aos jogos eletrônicos, aos estudos e à prática de atividades físicas, promover a pesquisa em fontes on e off-line confiáveis, aumentando o senso crítico dos alunos e gerar transformações verdadeiras na criação de projetos que beneficiem suas comunidades.

 

Para se conectar com projetos verdadeiros a partir da educação, é preciso colocar propósito nessa conexão e incentivar um aprendizado constante, acompanhando as transformações do mundo. Isso é o que tentamos fazer todos os dias na Mastertech.

 

 

Tecnologia na educação: as máquinas a favor do ensino
Avalie esse post
Você pode também gostar