Materiais verdes de construção, energia verde em micro-redes e tecnologias que reduzem a quantidade de energia e água consumida vão mudar a forma como os humanos vivem em todo o mundo.

 

A permacultura é um dos modelos que permite essa mudança de forma extremamente positiva. E, com o auxílio da tecnologia, desenvolver permaculturas de acordo com as condições de cada meio se torna cada vez mais possível.

 

O que é permacultura?

 

A permacultura é modelada nas relações encontradas na natureza. O termo foi cunhado por Bill Mollison (agricultura permanente e cultura permanente). Mais especificamente, é o desenho de ecossistemas agrícolas produtivos que têm diversidade e estabilidade, considerando o ambiente existente e os ecossistemas naturais.

 

A verdadeira permacultura não é apenas a agricultura orgânica – a ideologia deveria, na prática, significar uma integração harmoniosa entre o meio ambiente e as pessoas – fornecendo sua comida, abrigo e energia de maneira sustentável.

 

Sistemas de Permacultura Suburbana

 

Um jardim de permacultura suburbana pode ser uma paisagem altamente produtiva comestível, incluindo vegetais, árvores frutíferas, aves, aquacultura de pequena escala, sistemas de reciclagem e compostagem, cultivo de minhocas, juntamente com espaços para entretenimento e relaxamento.

 

Um dos principais objetivos do projeto de permacultura é integrar a paisagem ao prédio para ajudar com o aquecimento e o resfriamento, bem como atender às necessidades do lar e reciclar os resíduos do local.

 

Sistemas de Permacultura Rural e Comercial

 

A permacultura rural tipicamente envolve o projeto de hortas e pomares de frutas, quebra-ventos, oliveira comercial e envolve planos agrícolas que podem incluir espaço para a produção de gado, regeneração de terras e conservação da terra.

 

Os benefícios de todo um plano agrícola ou projeto de propriedade são que uma abordagem holística e sustentável do uso da terra pode ser desenvolvida e os vários estágios na implementação do plano podem ser delineados.

 

Princípios de design da permacultura

 

Existem 12 princípios de design de permacultura, que são oferecidos como “ferramentas de pensamento”. Quando usados ​​em conjunto, podem permitir que qualquer um projete seu uso do ambiente de maneira ponderada e sustentável. Esses princípios são:

 

Observe e Interaja – “A beleza está na mente do observador.” Ao dedicarmos tempo para nos envolvermos com a natureza, podemos projetar soluções que se adequem à nossa situação particular.

 

Capture e armazene energia – “Faça feno enquanto o sol brilha.” Ao desenvolver sistemas que coletam recursos quando eles são abundantes, podemos usá-los em momentos de necessidade.

 

Obtenha um rendimento – “Você não pode trabalhar com o estômago vazio”. Certifique-se de que você está obtendo recompensas verdadeiramente úteis como parte do trabalho que está fazendo.

 

Aplique auto-regulação e aceite feedback – “Os pecados dos pais são sentidos nas crianças da sétima geração.” Precisamos desencorajar atividades inapropriadas para garantir que os sistemas continuem funcionando bem. O feedback negativo é muitas vezes lento para emergir.

 

Use e valorize os recursos e serviços renováveis ​​- “Deixe a natureza seguir seu curso”. Faça o melhor uso da abundância da natureza para reduzir nosso comportamento de consumo e dependência de recursos não renováveis.

 

Não desperdice – “Um ponto no tempo economiza nove”. Ao valorizar e fazer uso de todos os recursos que estão disponíveis para nós, nada é desperdiçado.

 

Desenhe de padrões a detalhes – “Não é possível ver a floresta pelas árvores”. Ao retroceder, podemos observar padrões na natureza e na sociedade. Estes podem formar a espinha dorsal de nossos projetos, com os detalhes preenchidos à medida que avançamos.

 

Integre em vez de segregar – “Muitas mãos fazem trabalho leve.” Colocando as coisas certas no lugar certo, os relacionamentos se desenvolvem entre essas coisas e elas trabalham juntas para apoiar umas às outras.

 

Use soluções pequenas e lentas – “Lento e estável vence a corrida” ou “Quanto maior, pior a queda”. Sistemas pequenos e lentos são mais fáceis de manter do que os grandes, aproveitando melhor os recursos locais e produzindo resultados mais sustentáveis.

 

Use e valorize a diversidade – “Não coloque todos os ovos na mesma cesta”. A diversidade reduz a vulnerabilidade a uma variedade de ameaças e aproveita a natureza única do ambiente em que ela reside.

 

Use das arestas e valorize o marginal – “Não pense que você está no caminho certo apenas porque é um caminho bem batido”. A interface entre as coisas é onde os eventos mais interessantes acontecem. Estes são frequentemente os elementos mais valiosos, diversificados e produtivos do sistema.

 

Use e responda criativamente à mudança – “A visão não está vendo as coisas como elas são, mas como elas serão”. Podemos ter um impacto positivo na mudança inevitável, observando cuidadosamente e, em seguida, intervindo no momento certo.

 

permacultura

 

O que isso tem a ver com tecnologia?

 

A ciência é uma ferramenta para explicar por que as coisas acontecem para que possamos aprofundar a compreensão humana ou usar esse conhecimento para desenvolver soluções melhores. A tecnologia pode nos dizer como resolver problemas, como fazer algo, com ou sem explicações científicas. Podemos saber como fazer algo sem saber como funciona exatamente.

 

Se os primeiros humanos que descobriram o fogo e inventaram a tecnologia para fazê-lo esperassem por explicações, teriam esperado por 400 mil anos ou mais, tempo em que provavelmente teriam morrido congelados e extintos.

 

Diz-se que o controle do fogo pelos primeiros humanos foi um ponto de virada cultural na evolução humana. O fogo deu aos seres humanos a capacidade de mudar seu ambiente e forneceu uma ferramenta de engenharia para criar novas tecnologias. O fogo forneceu calor, proteção, capacidade de cozinhar alimentos e prolongar a atividade humana durante a noite. Esses avanços permitiram que os humanos se expandissem por toda parte e evoluíssem cultural e tecnologicamente de maneiras que nunca puderam fazer antes.

 

Então, se sabemos como fazer algo que torna nossas vidas mais sustentáveis, deixa o planeta em um estado melhor do que aquele que encontramos e encoraja as pessoas a se reconectarem com a natureza, por que não usá-lo? Por que não ensinar os outros a fazer o mesmo? Todos sabemos que isso é o que acontece no mundo real, é o que sempre aconteceu e continuará acontecendo. Este é o modus operandi da humanidade como uma criatura tecnológica.

 

A tecnologia é base e aliada desses e outros projetos por um mundo melhor. Quer fazer parte de tudo isso? Tem bootcamp de tecnologias emergentes chegando na Mastertech pra você conhecer novas formas de usar a tecnologia pelo bem de todos. Vem conhecer!

 

Permacultura: a tecnologia em benefício do meio ambiente
Avalie esse post
Você pode também gostar