Por: Camila Sass | Desenvolvedora full-stack do time de produto do BossaBox

 

Hoje o papo é sobre comunidades! No último artigo que escrevi falei sobre como participar de comunidades voltadas para mulheres na tecnologia tem sido importante para mim, então vou contar um pouco sobre as experiências que eu tenho tido nessas comunidades.

 

Programaria

 

A primeira comunidade pela qual eu me interessei foi a PrograMaria, um grupo criado por designers e jornalistas, que tinham interesse em aprender programação, mas sentiam falta de apoio e encorajamento. De toda essa inquietação nasceu a PrograMaria, que possui como objetivo contribuir para que mais meninas e mulheres sintam-se motivadas e confiantes a explorar os campos da tecnologia, da programação e do empreendedorismo, incentivar o debate sobre a falta de mulheres nesses campos e promover oportunidades e ferramentas para que elas deem os primeiros passos na aprendizagem da programação.

 

Eu comecei a acompanhá-las nas redes sociais e achava (ainda acho =}) muito interessante o trabalho delas para atrair mais mulheres para a área de tecnologia e como elas contribuem para capacitar essas mulheres, elas formam turmas de desenvolvimento web front-end que sempre contam com um número de inscritas muuito maior que o de vagas que elas conseguem oferecer –  que vai contra aquele velho e preguiçoso argumento de que mulheres não se interessam por tecnologia, né?!

 

Já participei também do PrograMaria Summit 2017, que contou com diversas palestras sobre a área de tecnologia, TODAS ministradas por mulheres. Também participei de um meetup onde mulheres com experiência na área falaram sobre suas carreiras e no qual tivemos a oportunidade de compartilhar nossas experiências também. E ver outras mulheres em posições que almejamos alcançar é muito inspirador e motivador, dá aquele gás para continuarmos estudando e correndo atrás dos nossos objetivos.

 

UPWIT

 

A UPWITUnlocking the Power of Women for Innovation and Transformation – é uma consultoria de inteligência de gênero e inovação. Seu objetivo é fomentar a liderança feminina e a mudança de cultura dentro das empresas para que elas percebam a diversidade como um vetor de inovação. Por meio de workshops presenciais realizados periodicamente, a UPWIT incentiva práticas inclusivas e a criação de soluções inovadoras que contribuam para a igualdade de oportunidades entre os gêneros.

Elas possuem um programa de liderança feminina, que parece ser incrível, proporcionando um grande desenvolvimento pessoal, digo isso pois tive a oportunidade de participar de um encontro gratuito de duas horas (fica de olho na página delas para não perder essas oportunidades) onde elas aplicaram técnicas que usam nos seus cursos, e essas duas horas já foram maravilhosas, com dinâmicas bem interessantes que geraram bastante reflexão… imagina quão incrível deve ser o curso inteiro.

 

Elas também criaram um e-book I-N-C-R-Í-V-E-L sobre mulheres líderes na tecnologia, que conta com muitos estudos e dados que deixam evidente como a atual realidade precisa melhorar e como é preciso que existam movimentos que mostrem para nós mulheres que a TI é sim nosso lugar e que nos ajudem a combater questões interiores, como a Síndrome do Impostor – síndrome que atinge um grande número de mulheres, as quais sentem-se impostoras, verdadeiras fraudes, indignas de receber destaque em sua área de atuação, mesmo recebendo elogios, feedbacks positivos e outras provas de reconhecimento e com isso acabamos por acreditar que todo o sucesso é fruto do acaso, da sorte ou de algum erro no processo – que muitas vezes pode nos paralisar e/ou tornar a jornada ainda mais difícil.

 

PHPWomen

 

Outra oportunidade massa foi participar do curso para iniciantes em PHP, ministrado pelas meninas do PHPWomen – um grupo de mulheres desenvolvedoras, aspirantes e simpatizantes que buscam a disseminação de conhecimento e a criação de um ambiente acolhedor a todas e todos –  e foi muito legal, sério, passar o dia codando com mulheres é uma experiência maravilhosa. Ver o processo de aprendizagem , ver as meninas se ajudando, se apoiando…é muito lindo. Afinal, a gente cresce aprendendo que mulheres devem competir, e ver mulheres unidas em prol do crescimento de cada uma dá aquele calorzinho no coração.

 

Elas Programam

 

Mais recentemente descobri um grupo no Facebook chamado Elas Programam – que tem como objetivo conectar mulheres que querem entrar na área de TI com quem já atua no mercado para que juntas se fortaleçam – e olha, esse é outro ambiente maravilhoso. A Silvia Coelho, fundadora do grupo, conseguiu criar um ambiente incrível, lá as meninas tiram dúvidas, compartilham eventos, agradecem pelas oportunidades, buscam por oportunidades, é pura sororidade.

 

A Silvia também iniciou um projeto de mentoria, onde meninas podem colocar as áreas que gostariam de aprender, e as mais experientes se voluntariam para serem mentoras em suas áreas. Tem muita coisa boa saindo desse projeto, e com ele cria-se uma rede de apoio entre mulheres que é incrível. Se você ainda não faz parte desse grupo mulher, não perca tempo e entre logo, vem fazer parte dessa comunidade com mais de 2500 mulheres maravilhosas!

 

WoMakersCode

 

A comunidade que eu mais tenho participado atualmente é a WoMakersCode, fundada em 2015 no interior do Rio Grande do Sul  pela Cynthia Zanoni. Essa é uma iniciativa sem fins lucrativos que busca o protagonismo feminino na tecnologia através do desenvolvimento profissional e econômico. Elas acreditam que empoderar é incentivar a participação, o aprendizado colaborativo e, acima de tudo, dar voz às mulheres. Elas possuem eventos recorrentes, como o Front-end Study, que chegou a sua terceira edição no sábado, dia 15/09, e do qual participei, tendo sido mais uma experiência incrível, onde pude passar um dia inteirinho aprendendo sobre Vue, numa sala cheia de mulheres interessadas em tecnologia, foi super legal!

 

As meninas da WoMakersCode são super preocupadas em produzir conteúdos técnicos, contribuindo para a capacitação das mulheres. Elas organizam muitos meetups sobre assuntos diversos, como Front-end, DevOps, Linkedin, Git, Carreira, novas tecnologia. Essa é uma comunidade que vale muito a pena acompanhar, as meninas são muito engajadas e produzem bastante coisa, então fica de olho em tudo que elas estão fazendo.

 

Reprograma

 

Outra comunidade massa é a Reprograma, que vem trabalhando para reduzir o gap de gênero em TI e mostrar que programação é coisa de mulher sim! Elas ministram um curso de front-end e um de front+back na Estação Hack do Facebook, e pelo que eu acompanho nas redes sociais delas e pelo relato de meninas que já participaram desses cursos a formação é bastante completa e uma excelente oportunidade.

 

Dito isso, só quero enfatizar que a comunidade voltada para mulheres é incrível e vale muuito a pena estar nesse ambiente. Quero agradecer a todas as mulheres que criaram e contribuem para manter essas comunidades ativas e funcionando tão lindamente, vocês são grandes inspirações e contribuem profundamente para o desenvolvimento de mulheres. Obrigada pelo trabalho que vocês desempenham, ele me ajuda muito e espero que ajude cada vez mais meninas.  Cada evento que eu participo me ajuda a sair um pouco da minha zona de conforto, me ajuda a sentir mais à vontade para falar, tirar dúvidas, para mim tem sido uma experiência de grande crescimento pessoal e profissional, e eu quero muito mesmo que seja para você também!

 

Espero que você esteja morrendo de vontade de participar dessas comunidades, e para isso, se eu fosse você, curtiria todas as páginas dessas comunidades no Facebook. E uma dica para não perder os conteúdos que elas postam é  clicar no botão Seguindo, das páginas do face, e selecionar a opção ver primeiro, assim elas aparecem antes das outras páginas na sua timeline.

 

Para te ajudar, aqui vai uma listinha com as páginas dessas comunidades incríveis pra você curtir (o Elas Programam é um grupo e não tem página, então coloquei o link do grupo pra você entrar):

 

 

E se você participar de algum evento, me conta como foi sua experiência, ou me chama, quem sabe não nos conhecemos, meu contato é camila@bossabox.com e vou amar conversar contigo =}

 

Comunidades: mulheres da tecnologia
Avalie esse post
Você pode também gostar