Nós sofremos de certezas. Dormimos hoje planejando todo o dia de amanhã, sem nunca questionarmos a possibilidade de atuação das adversidades. Dia 31 de dezembro e sua listinha de resoluções para o novo ano são uma prova disso.

 

 

Fazer planos é importante, essencial pra falar a verdade. As resoluções de ano novo nos trazem aquele ar fresco de renovação de ciclo que precisamos para potencializar as energias e finalmente agir de acordo com nossos objetivos. Mas até que ponto é saudável pensarmos que estamos no controle?

 

A imprevisibilidade da tecnologia

 

A mudança tecnológica é rápida e imprevisível.

 

As palavras “Feliz Natal” enviadas de um computador pessoal para um celular em 3 de dezembro de 1992 deu início ao uso de textos que explodiu. O rápido crescimento da Internet não muda apenas a maneira como interagimos e trocamos informações com nossos amigos e familiares, mas muda a face da economia global.

 

E, ainda que existam diversas pesquisas e análises do setor para gerar previsões, identificar tendências e trabalhar em cima de novas necessidades, as transformações são imprevisíveis.

 

O Facebook, em apenas cinco anos, passou de alguns milhares de usuários universitários para mais de 800 milhões de usuários, incluindo grandes empresas que atualizam regularmente suas páginas e compartilham informações com o público e os acionistas.

 

No entanto, essas mudanças, por mais radicais que pareçam, são apenas desenvolvimentos muito recentes. De acordo com vários relatórios acadêmicos, ainda não vimos nada.

 

O ritmo desse crescimento é exponencial, não linear, o que significa que está crescendo mais rápido com o passar do tempo. Isso é literalmente verdade em tecnologia, nas áreas de velocidade de processamento, armazenamento de dados e largura de banda, por exemplo.

 

Conseguimos compreender como a tecnologia muda a passos largos, se transforma a todo instante e é, em grande parte das vezes, uma surpresa. O mesmo acontece em nossas vidas.

 

A imprevisibilidade da vida

 

Não é a toa que o universo da tecnologia possui essas características. Quem faz a tecnologia somos nós.

 

Ainda que a inteligência artificial tenha levantado muitos debates sobre a possibilidade de eliminar os “erros” humanos do caminho de avanço, ainda é impossível pensarmos em um mundo onde as características naturais não sejam incorporadas em cada pequeno objeto que criamos.

 

O mundo é um reflexo de nossos impulsos naturais, nossas dores e amores, nossos defeitos e qualidades. Tudo aquilo que mais admiramos e, claro, que mais desprezamos no ser humano, se manifesta na criação das estruturas que possuímos hoje. E no coração desta maquinaria está a imprevisibilidade.

 

“Cultivar a não-certeza é uma atitude que, longe de estimular a apatia e a alienação, faz com que estejamos livres para agir politicamente no mundo com menos narcisismo e com mais liberdade, com menos autocentramento e com mais empatia.”

Prisão Conhecimento – Alex Castro

 

Quer começar 2019 fazendo as coisas certas? Esqueça que você sabe o que é certo. Viva (e se divirta) com o desconhecido.

 

Lide com seu ano novo como lidamos com tecnologia
Avalie esse post
Você pode também gostar