Por que Nós Dormimos

Por que nós dormimos? Álcool realmente nos ajuda a dormir melhor? Por que a gente diz que existem pessoas “do dia” e “da noite”? Por que algumas pessoas sofrem tanto para acordar cedo? Será que dormir 2 ciclos de 4hrs é melhor do que dormir direto a noite inteira?

Perguntas que a gente ouve em grupos de whatsapp e rodas de conversa, e eu te garanto que mais de um amigo seu (até mesmo você) já pensou em diversas teorias do porquê essas coisas acontecem.

Uma certa época da minha vida eu comecei a ter dificuldade pra pegar no sono. Sempre fui de acordar cedo, e acordava entre 5:50 e 6hrs pra sair de casa às 6:30. Tinha passado as últimas duas semanas me revirando na cama até depois da meia-noite, e essas poucas horas de sono estavam me deixando exausta. Eu já acordava cansada. Comentei isso com a minha mãe, e logo ela veio com a resposta: “toma melatonina.” 

A conversa correu mais ou menos assim:

“Toma melatonina. Têm na gaveta de remédios.”

“Eu não quero me viciar em remédio pra dormir, mãe. Obrigada.”

“Não é remédio remédio, melatonina não vicia. Eu conheço um monte de gente que toma há anos e não tem nada disso.”

Essa conversa realmente aconteceu comigo. E acontece todos os dias, o tempo todo, com muita gente por aí. Muitas suposições são feitas sem nem checarmos os fatos. Nos atribuímos novos papéis: publicitária de dia e médica pelo whatsapp na hora do almoço, advogado de dia e “manjador” de day trade no grupo de amigos. Como diria Sinek, acreditamos nas pessoas, e não no que elas vendem.

No livro ‘Misbehaving: A Construção da Economia Comportamental’, o nobel em economia Richard Thaler critica fortemente os modelos usados em análises econômicas durante décadas, e chama as pessoas racionais e sem desvios dessas análises, de Homo economicus, ou Econs. Enquanto isso nós, humanos falhos e irracionais, somos simplesmente Homo sapiens, ou Humans.

Nós, os Humanos, não somos racionais em praticamente nenhum momento, e até as decisões que parecem racionais são dominadas pelo nosso inconsciente. Ao unirmos nossas falhas e irracionalidade ao avanço das tecnologias de comunicação, chegamos a dois cenários perigosos:

  1. nossa capacidade em distinguir fake news de fatos está cada vez mais abalada;
  2. vivemos em uma era de excesso de informações, e nunca as pessoas foram tão preguiçosas e mal-informadas sobre o que está acontecendo do lado de fora.

Começamos o texto te fazendo algumas perguntas sobre sono, e te mostrando que existem diversas teorias e falsas suposições sobre ele. No livro ‘Por que nós Dormimos: A Nova Ciência do Sono e do Sonho’, o autor Matthew Walker, assim como Richard, levanta respostas e fatos para perguntas que ninguém havia feito antes. Um exemplo é a história das cotovias e corujas. 

Você já parou pra pensar por que algumas pessoas tem dificuldade para acordar cedo, enquanto outras não conseguem dormir cedo? Ou por que aceitamos o horário de trabalho das 9hrs às 17hrs como se ele funcionasse pra todo mundo? Matthew discute esses fenômenos. 

Um spoiler? Se você é uma coruja ou uma cotovia, quem determina é a sua genética. Se você for coruja, e se forçar a dormir cedo, provavelmente terá dificuldade de pegar no sono. O ciclo de sono das corujas noturnas se inicia somente no início da madrugada, lá pelas 1hr, 2 hrs da manhã. 

Tudo bem, tudo bem… Isso você pode até dizer que já sabia. Mas já parou pra pensar o quanto as “corujas noturnas” são julgadas informalmente já que não gostam de acordar cedo, ou que são vistas como preguiçosas? Ou o quanto o mercado de trabalho formal é desenhado perfeitamente para que as cotovias matinais sejam mais eficientes do que as corujas? 

Aí está a beleza destes livros. Sem fatos e muito estudo nós não teríamos essas fontes valiosas de informação. Ao mesmo tempo, fatos e números não valem nada se não tivermos pessoas que saibam fazer boas perguntas, que nos levem a um estado de reflexão.

Saber o tamanho da sua Ilha do Conhecimento, e ter noção do mar de informações que você não sabe, é importante não só pra que você refute sua mãe sobre tomar melatonina. É o que vai te trazer uma compreensão imensa sobre você mesmo, seus limites, suas forças e fraquezas, o tamanho da sua ignorância, e te tornar um ser humano mais consciente e melhor informado, sabendo distinguir o ‘fake’ do fato. 

O mundo precisa urgentemente de pessoas mais conscientes e melhor informadas. Mas, mais do que isso, o mundo precisa de pessoas como Richard e Matthew, que olhem para as coisas de uma forma diferente e descubram respostas para perguntas que ninguém ainda está fazendo. 

Este texto foi escrito por Beatriz Efeiche e Larissa Carlotti, as duas fazem parte do time da Mastertech e basearam esse post em suas leituras dos livros a seguir:

A Sociedade dos Poetas Remotos é uma iniciativa interna da Mastertech para manter o time conectado em tempos de quarentena. Cada pessoa da nossa equipe recebeu de surpresa um livro em casa, escolhido pelos líderes. Após a leitura de cada um, todos foram separados em grupos e escreveram um texto conjunto que conecta as obras.

Todos os livros da Sociedade dos Poetas Remotos são parte importante da visão da Mastertech e os conteúdos deles são citados com frequência em nossos cursos abertos. Se você gostou desta iniciativa, é bem provável que também goste de nossas aulas. Visite o nosso site e veja as próximas datas!

Deixe uma resposta