O Tec para Todos, um evento organizado pela Mastertech, no último dia 21 de agosto de 2019, na ETEC Santa Ifigênia – Centro de São Paulo, realizado em parceria com o Global Media Technologies and Cultures Lab do MIT e apoio do Centro Paula Souza e nasceu com o objetivo de colocar em pauta os desafios e oportunidades relacionadas ao ensino de tecnologia no sistema público de ensino brasileiro.

 

Convidamos para a mesa de discussão Camila Achutti, que além de  CEO e Fundadora da Mastertech, é doutoranda em educação pela Universidade de São Paulo, Cláudia Costin, ex-secretária Municipal de Educação do Rio de Janeiro, Débora Garofalo, primeira professora brasileira finalista do Global Teacher Prize,  (o prêmio nobel da educação), e Iago Bojczuk, mestrando em Estudos Comparativos de Mídia no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

 

 

Para iniciar a discussão sobre como a tecnologia transforma a educação pública no Brasil, Camila Achutti começou  falando sobre a importância cada vez maior do Peopleware, o ato de olhar para as pessoas por trás dos hardwares e softwares.

 

De acordo com a fundadora da empresa, hoje a maior parte da receita da Mastertech vem de contratos corporativos. Grandes clientes estão cada vez mais em busca de iniciativas educacionais que transformem seus processos, culturas organizacionais e acima de tudo, as pessoas.

 

Claudia Costin deu sequência ao encontro comentando sobre o documento da ONU – do qual o Brasil é um dos países signatários – que lista 17 objetivos para transformar nosso mundo até 2030. A ex-secretária comentou mais precisamente sobre o objetivo 4 da ODS: Assegurar a educação inclusiva e equitativa  de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todas e todos.

 

Mesmo reconhecendo que o Brasil tem progredido em relação às metas estabelecidas, Claudia salientou que o caminho a ser percorrido ainda é extremamente longo e listou algumas das principais tendências em educação no mundo:

 

 – Foco em resolução de problemas e em criatividade;

 

– Tecnologia como oportunidade de personalização do ensino
(plataformas adaptativas);

 

– Flexibilização dos currículos e interdisciplinaridade;

 

– Ensinar a pensar e promover aprendizado profundo;

 

– Competências cognitiva associadas a competências socioemocionais;

 

– Protagonismo do aluno (formar para a autonomia e para a cidadania global).

 

Débora Garofalo foi a próxima a subir no palco. Umas das mais renomadas professoras do país, destacou o poder que a educação tem na transformação de realidades e contou um pouco mais sobre o seu projeto que ensinou robótica para alunos de escola pública utilizando sucata.

 

Apesar da iniciativa ter sido um enorme sucesso e hoje contar com a participação de mais de mil alunos, ela comentou que, no começo, nem mesmo os alunos acreditavam que aquilo era possível. Aos poucos, eles foram se engajando e transformando lixo em objetos funcionais. Enquanto aprendiam sobre várias disciplinas, perceberam que nem toda transformação educacional precisa acontecer em uma sala de aula fechada.

 

Veja o vídeo sobre o projeto:

 

 

Para encerrar o evento, Iago Bojczuk compartilhou algumas de suas experiências com Iniciativas globais para a educação. O brasileiro, aluno de mestrado do MIT, relatou que, com o apoio de sua universidade em Massachusetts, teve a oportunidade de viajar para diversos países, incluindo a Tanzânia na África e participar de iniciativas que fomentam a educação em tecnologia nos países em desenvolvimento.

 

Sobre essa discussão é essencial reparar em dois aspectos importantes:

 

– O Tec é com c no final mesmo, afinal, de que adianta falarmos de educação pública e inclusão usando termos em inglês?

 

– O Tec para Todos aconteceu na Etec Santa Ifigênia, uma das unidades da Escola Técnica Estadual de São Paulo. Apesar da sede da Mastertech ser descolada, bonita e estar no coração de São Paulo, precisamos debater o tema onde ele realmente acontece, com a participação daqueles que vivem essa realidade.

 

Seja da perspectiva das empresas privadas, governos, escolas públicas ou instituições internacionais, a transformação da educação envolve muitos outros temas, por isso, outras edições do Tec para Todos irão acontecer em breve.

 

Para sugerir outros temas e saber mais sobre as iniciativas da Mastertech para a educação, siga o nosso Instagram.

 

 

Quando a Tecnologia é para Todos, o Tec não tem H
Avalie esse post
Você pode também gostar