Sobre os Princípios Matemáticos da Filosofia Natural e a implantação de uma cultura ágil

Os Princípios Matemáticos da Filosofia Natural, publicado em 1687, é, provavelmente, o livro de ciências mais influente até os dias de hoje. Foi nesta publicação que Isaac Newton descreveu o que podemos considerar suas maiores contribuições para a ciência e a tecnologia: as Três Leis de Newton.

O paralelo que trago aqui com a implantação de uma cultura ágil foi inspirado nas discussões que observei esta semana na Mastertech, seja com nossos clientes durante as aulas, seja nas conversas que tivemos internamente.


1a Lei de Newton fala que todo corpo continua em seu estado de repouso ou movimento uniforme em linha reta (MRU, lembram?) a menos que seja forçado a mudar este estado por eventos externos à ele. Estamos falando aqui do princípio da inércia.

Quanto maior for um corpo, maior será sua inércia.

A implantação de uma cultura ágil (ou de qualquer cultura, por assim dizer), requer alguns cuidados, dentre eles, justamente um que se apoia na 1a Lei de Newton: começar pequeno. Entender onde pode ser testado primeiro, criar cases, arrematar aprendizados é essencial para que esta cultura seja sustentada no longo prazo.

É apenas natural que comecemos pequenos. Nada na natureza nasce pronto, nem mesmo a gente. É improvável, portanto, que uma empresa inteira adote uma cultura ágil com sucesso só por que sim, da noite pro dia.


Passemos então à 2a Lei de Newton, mais conhecida como Princípio Fundamental da Dinâmica. Este princípio fala que:

“A mudança de movimento é proporcional à força imprimida e, é produzida na direção da linha reta na qual aquela força é imprimida.” 

Além disso, a aceleração produzida é diretamente proporcional ao módulo da força e inversamente proporcional à sua massa. Ou seja, quanto menor o corpo, maior será a sua aceleração.

Transpondo esta lei para o ambiente corporativo, a observação de resultados (e aprendizados) da implementação de uma cultura ágil em um experimento contido se dá de forma mais acelerada e exponencial do que em ambientes maiores, consolidados e com mais variáveis em jogo.


Por fim, temos a 3a Lei de Newton, ou ainda, a Lei da Ação e Reação. A tradução do enunciado original diz que:

“A toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade: as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas em sentidos opostos”.

De acordo com esta lei, uma força só existe a partir da interação de dois corpos.

O que me traz para o meu terceiro e último ponto: a cultura ágil por si só não ocorre sozinha. Ela se faz e, mais importante, se mantém suportada pelos seus ativos mais relevantes: as pessoas.

É através da interação entre estes corpos, que aqui vamos chamar de pessoas que as cultura é construida. São as pessoas que vão amalgamando as vivências e aprendizados da implementação de uma cultura ágil.

Se valer de começar pequeno, e reverberar as mudanças, aprendizados e boas práticas, fomentando a mudança cultural de forma natural é um caminho consistente para que a implementação de uma cultura ágil chegue em todas as camadas de uma organização.

Como você enxerga isso no seu ambiente de trabalho? Faz sentido observar os Princípios Matemáticos da Filosofia Natural?

Deixe uma resposta