A principal virtude do modelo canvas de negócio é sua transparência. É isso que ajuda a criar foco nas ações da empresa. Para criar uma visão significativa e valiosa sobre o Canvas, é preciso profundidade. Aqui, vamos apresentar as três etapas que ajudarão você a se aprofundar no objetivo da sua empresa e estruturar isso usando o Canvas.

 

O que é um modelo canvas?

 

O Business Model Canvas ou modelo canvas de negócio é uma ferramenta para articular e inovar modelos de negócios. O canvas tem os nove blocos que você pode ver na imagem abaixo.

 

modelo-canvas

 

Quer entender como preencher cada uma das lacunas de forma aprofundada para beneficiar o seu negócio? Seguem algumas orientações que irão te ajudar.

 

1. Aproveite a ligação entre segmentos de mercado e propostas de valor

 

O Canvas parece um plano de níveis, mas na verdade não é hierárquico. A relação entre segmentos de mercado e propostas de valor é a variável independente que deve orientar o restante do Canvas. Sendo assim, vale a pena gastar o tempo que você precisar aqui.

 

Segmentos de mercado

 

Quando trabalhamos com alunos, começamos criando um conjunto de personas, retratos humanizados de seus públicos, sejam eles compradores ou usuários do produto da empresa. Quem são eles? Que tipo de itens eles usariam? Você consegue pensar em cinco exemplos de pessoas do mundo real? Quais são os mais importantes?

 

A segmentação é uma maneira de agrupar heuristicamente conjuntos de clientes e persona é uma ferramenta para humanizar sua compreensão deles. Você estará fazendo o Canvas para que possa tirar as camadas da cebola e realmente ver o que está impulsionando o seu negócio. Se você acha que tem muitas personas e elas se encaixam em grupos lógicos, então, com certeza, agrupe-os por segmento. Mas não precisa se preocupar demais com isso em um primeiro momento.

 

Proposições de valor

 

Localizado no centro da tela, este é o objetivo do seu modelo canvas de negócios. Primeiro, quais cenários problemáticos são importantes para suas personas? Se é uma proposta de business to business, quais trabalhos você está fazendo para eles e como eles precisam ser aprimorados? Se é uma proposta direto ao consumidor final, que necessidades e desejos subjacentes você está cumprindo?

 

Em segundo lugar, quais são as alternativas atuais do cliente? É importante entender isso para que você possa compreender bem o cenário problemático e, por que sua proposta de valor precisa ser melhor do que as outras alternativas de mercado para você ganhar força.

 

Depois de obter uma lista de proposições de valores totalmente articuladas, classifique-as na ordem de mais ou menos convincente e escreva no Canvas. No final, você terá uma conclusão como essa:

 

“Uma certa PERSONA existe…

 

Ela tem certos PROBLEMAS…

 

Ela está usando certas ALTERNATIVAS…

 

E temos uma PROPOSTA DE VALOR que é melhor que as alternativas.”

 

2. Storyboard: como usar uma história para pensar em relacionamento com o cliente e canais

 

Os blocos de relacionamento com o cliente e canais geralmente recebem pouca atenção, mas eles revelam uma área importante e muitas vezes negligenciada do seu modelo de negócios: criar uma jornada eficiente e de alta qualidade para o cliente.

 

Para pensar na jornada do cliente, você pode usar uma estrutura com mais de 100 anos: AIDA (atenção, interesse, desejo, ação). O storyboard é uma ótima maneira de garantir que você realmente pensou nessa parte do seu modelo de negócios. Abaixo está um exemplo de storyboard para compreender a jornada do usuário em todas as fases, incluindo onboarding e retenção.

 

modelo-canvas

 

Depois de concluir o storyboard, preencha as relações com o cliente e os canais, perguntando-se para cada etapa do AIDA: Isso faz sentido? Posso visualizar isso funcionando? Como posso validar isso?

 

3. Defina um tipo de negócio antes de chegar na infraestrutura

 

Empresas de sucesso se concentram em operar com um determinado tipo de negócio: infraestrutura, escopo ou produto. Uma empresa orientada para a infraestrutura tem um grande ativo fixo ou sistema que deseja vender para o maior número possível de segmentos diferentes. Um negócio orientado por escopo cria uma economia de escopo, fazendo um monte de coisas para um determinado tipo de cliente. Uma empresa voltada para o produto cria algo único e proprietário, que inerentemente fornece uma proposição relevante para um ou mais segmentos.

 

Decida qual tipo você é, pelo menos uma visão de trabalho, e depois considere isso ao preencher as próximas três áreas do Canvas. No lugar das atividades-chave, considere quais atividades são exclusivas e estrategicamente importantes para o negócio. Isso faz sentido com o tipo de negócio?

 

Sobre os recursos, se pergunte: dado o tipo de empresa da empresa, para quais atividades principais devemos procurar parceiros e fornecedores? Por último, considere quais serão suas fontes de renda, ou seja, como e quanto seus clientes estão dispostos a pagar.

 

Conheça essas e outras ferramentas de gestão com o curso Gestão de Projetos Ágeis da Mastertech!

 

3 passos para criar um modelo canvas de negócio
Avalie esse post
Você pode também gostar