Mastertape #3: O homem que perdeu dois dedos e criou o heavy metal

Era o último dia trabalho na fábrica e ele foi chamado para cobrir a posição de um operário que havia faltado.

Era simples, bastava operar uma prensa.

Depois daquele dia ele teria todo o tempo do mundo para se dedicar à sua escolha de vida — a música.

Tudo normal, repetitivo, entediante, até que numa distração, sua mão ficou presa na máquina e ele perdeu dois dedos.

Correu ao hospital, mas foi em vão.

O jovem Tony Iommi via, em um segundo, em um ‘circuit breaker’ da vida, tudo desmoronar.

Seria o fim?

Ele entrou num espiral depressivo, do qual foi retirado apenas pelo seu chefe, que num gesto de sensibilidade, lhe apresentou a história de um músico que havia superado problema similar.

Tonni se apoiou naquilo e começou um processo de ‘design thinking’ particular, tentando criar variações de próteses para seus dedos.

Fez vários protótipos, usando plásticos, panos, couros, etc.

Como só podia usar o indicador e o dedo mindinho, precisava criar uma alternativa para os dedos decepados, pois isso seria determinante na mecânica de tocar guitarra.

Em algum momento, o protótipo funcionou, e Tony Iommi desenvolveu seu estilo único de tocar, mais cru, primitivo, sujo e pesado, consequência do modo de segurar a guitarra e da aprendizagem de tocar apenas com os dois dedos bons.

Da deficiência nasceu um dos maiores guitarristas de todos os tempos.

Tonni Iommi criou o Black Sabbath, tido por muitos como a pedra angular do Heavy Metal.

Aqui você pode ver essa história numa animação sensacional.

São 3 minutinhos de “biscoito fino”, narrados pelo próprio guitarrista.

Aqui você tem um texto com a tradução

Essa é mais uma das histórias , onde a falta de recursos, restrições ou deficiências estimulam a criação de uma alternativa original e impensada.

Processos de “design thinking” e “design sprint” usam da inteligência coletiva para driblar esses acidentes e construir soluções.

A experimentação, os testes, as observações e o uso do feedback como energia criativa criam o ambiente propício para que novas ideias surjam e se desenvolvam.

Tonni Iommi tinha um objetivo na cabeça e uma deficiência nas mãos.

O que ele fez foi reenquadrar a situação, ressignificando a deficiência e adaptando a ideia.

Foi esse pensamento maleável que o levou a criar um estilo musical.

Siga a Mastertech no Spotify e acesse a playlist com a Mastertape completa!

A ampliação de repertório é uma das das coisas mais importantes para nós. Acreditamos na capacidade de promover conexões e traçar paralelos em diversos contextos, inclusive na música e na cultura. O mais importante é mudar a lente buscar novos enquadramentos.

Os cursos abertos da Mastertech também têm essa função. Visite o nosso site e veja as próximas datas!

Deixe uma resposta