Mastertape #10: A história do fogo

Em 1971 o Deep Purple já era uma banda de respeito e caminhava a passos largos para o panteão do rock.

A banda estava para lançar seu sexto álbum, mas queria uma sonoridade diferente, algo que se aproximasse mais do som obtido ao vivo.

A intenção era melhorar a experiência do fã que não podia ir ao show, oferendo um material equivalente.

O Deep Purple sempre pensou nisso.

UX total.

Pois bem.

A banda escolheu o Montreaux Casino que ficava no “Lake Geneva” na Suíça, cujo dono era Claude Nobs, fã dos caras e um dos organizadores do famoso festival de música que acontecia na cidade —O Festival de Montreaux.

Os integrantes da banda resolveram ir pessoalmente conhecer o local e, de forma casual, acabaram assistindo um show que acontecia naquele momento.

Era nada mais, nada menos, que o maluco do Frank Zappa, uma espécie de Tom Zé americano, igualmente doido, gênio e competente.

Tudo corria bem até que “some stupid with a flare gun, burned the place to the ground”

É isso.

O lugar começou a pegar fogo e todo mundo saiu correndo.

Alguém usou um fogo de artifício dentro da casa, o que deu início ao incêndio.

A ideia de gravar no Cassino tinha micado.

A banda voltou para o hotel e no dia seguinte, da janela do banheiro, Roger Glover, o baterista, viu uma fumaça sobre o lago, ainda como efeito do incêndio no cassino.

Aí deu-se a epifania.

Fumaça sobre a água — “Smoke On The Water”.

E assim nascia o maior sucesso do Deep Purple.

A letra da música é um exemplo de ‘storytelling’ e descreve de um jeito divertido todo o incidente no show do Frank Zappa.

leia a letra aqui

O que parecia uma anedota, virou arte.

Típico de gente talentosa, sagaz, capaz de absorver tudo o que acontece em volta e transformar em energia, em ação, em ideia, em insight, em produto.

Quando você está bem treinado e atento, quando gosta do que faz, tudo é matéria-prima para o trabalho.

Quando você gosta do que faz não é preciso pensar fora da caixa.

Quando você gosta do que faz, não existem caixas.

Onde tem fumaça, não vai faltar fogo.

Tem fumaça aí?

Siga a Mastertech no Spotify e acesse a playlist com a Mastertape completa!

A ampliação de repertório é uma das das coisas mais importantes para nós. Acreditamos na capacidade de promover conexões e traçar paralelos em diversos contextos, inclusive na música e na cultura. O mais importante é mudar a lente buscar novos enquadramentos.

Os cursos abertos da Mastertech também têm essa função. Visite o nosso site e veja as próximas datas!

Deixe uma resposta