Mastertape #1: Quarentena é igual a Transa

Em 1968, no Festival Internacional da Canção, em São Paulo, Caetano enfrentou a plateia que o vaiava por conta de uma apresentação da música “É proibido proibir”, tocada em conjunto com os Mutantes.

Não deixa de ser irônico o título da música para os dias atuais.

Talvez devêssemos reescrevê-lo para algo na linha de “É proibido proibir a proibição”.

Pode dar merda esse negócio de o “O Brasil não pode parar”, essa chamada do governo para que todos saiam às ruas em plena pandemia.

Mas, voltemos à musica.

Abaixo o vídeo da apresentação, e a partir de 6m:05s o momento onde Caetano irrompe num discurso catártico.

O discurso, além de histórico era também profético, antecipando os tempos sombrios que estavam por vir, a supressão de direitos e liberdades individuais e todas as barbáries perpetradas após o decreto nefasto do AI-5.

14 dias depois da assinatura do decreto, Caetano e Gil foram presos e se mudaram para Londres, onde passaram 3 anos exilados, proibidos de voltar ao Brasil.

E foi em Londres que Caetano criou aquele que é tido por boa parte dos seus fãs, mas sobretudo por todos os músicos que nele se inspiraram, uma de suas melhores obras.

Caetano usou sua quarentena forçada para fazer Transa.

O álbum é uma composição sofisticada, com arranjos e melodias ousados, soando moderno e original até os dias de hoje.

“You don’t know me”, faixa de abertura, foi considerada uma das melhores músicas da década por uma revista especializada britânica.

Aqui do Brasil, Paulo Diniz exerceu de sua empatia artística para fazer uma homenagem, imaginando o que se passava pela cabeça de Caetano.

O resultado é “Quero Voltar Para Bahia”, um delicioso pastiche bilingue.

Estas passagens acima são trechos históricos da música brasileira.

Caetano fez do seu isolamento forçado um laboratório criativo e imaginativo.

Produziu uma pérola histórica.

E você, como está usando seu tempo de quarentena?

Está encontrando espaço para fazer sua própria Transa?

Siga a Mastertech no Spotify e acesse a playlist com a Mastertape completa!

A ampliação de repertório é uma das das coisas mais importantes para nós. Acreditamos na capacidade de promover conexões e traçar paralelos em diversos contextos, inclusive na música e na cultura. O mais importante é mudar a lente buscar novos enquadramentos.

Os cursos abertos da Mastertech também têm essa função. Visite o nosso site e veja as próximas datas!

Deixe uma resposta