5 minutos de leitura

Marketing digital é sobre métricas. Depois que você começa a mergulhar nas plataformas digitais, a coisa mais importante que você tem a fazer é medir o impacto de todas as suas ações. Só assim você saberá o que está funcionando, o que não está e o que fazer a seguir.

 

A parte mais maravilhosa de se trabalhar com marketing digital é exatamente essa: poder realizar diversos experimentos de baixo risco em um curto espaço de tempo para ver o que funciona e, depois, tomar decisões inteligentes baseadas em dados reais ao invés de ficar só imaginando.

 

Mas para conduzir esses experimentos é preciso saber o que medir em suas campanhas de marketing. É nisso que entra o marketing analytics e a big data.

 

Big data e marketing analytics

 

As redes sociais são big data. A cada 60 segundos, usuários do Facebook compartilham 2.600 pedaços de conteúdo. Blogs também são big data. Por dia, 2 milhões de posts são publicados em mais de 1 bilhão de sites existentes para nossa visualização.

 

Com todo esse conteúdo flutuando pela internet, o marketing digital luta para engajar e converter uma audiência cada vez mais fragmentada. Confiar em processos manuais para analisar todos esses dados de uma só vez deixou de ser uma alternativa, para isso nasceu o marketing analytics.

 

A demanda crescente por plataformas que integrem os dados e os transformem em informações visualizáveis é o que permite insights personalizáveis e uma visão de negócio que vai à frente das expectativas. Essas ideias que surgem dos dados permitem melhores decisões, uma compreensão maior dos públicos e de como levar as mensagens certas, no contexto certo, para as pessoas certas.

 

Como começar no marketing analytics

 

marketing analytics

 

Google Analytics, Facebook Insights, Twitter Analytics, LinkedIn Analytics e Instagram Analytics são todos gratuitos. Só o que você precisa fazer é conectar seu site ao Google Analytics para começar a usar todas as outras. Não dá para fugir desse primeiro passo fundamental para conseguir as informações que você precisa.

 

Mais importante do que conseguir aqueles 100 likes no Facebook, sua tarefa aqui é saber de onde eles estão vindo e porque. Salve cada uma dessas páginas de analytics no seu navegador e comece a aprender uma a uma. Todas elas podem parecer monstruosas no primeiro momento, mas com a ajuda de canais no YouTube como o do Google Analytics, cursos online ou presenciais, você vai pegando o jeito.

 

Depois de organizar suas ferramentas, está na hora de definir metas. Escolha 3 à 5 indicadores que realmente importam para o seu negócio nesse momento. Esse passo é mais importante do que configurar seu analytics, mas um não acontece sem o outro.

 

Como escolher suas metas? Primeiro, tenha em mente que elas irão mudar com o tempo. Enquanto sua primeira meta pode ser conseguir seguidores ou inscritos em sua lista de emails, depois de conseguir seu público, ela pode mudar para aumentar a taxa de clicks ou engajamento em um canal específico. Medir e ajustar seus objetivos uma vez por mês é o que te fará perceber se você está seguindo um caminho que funciona para alcançar o que deseja com o negócio.  

 

Tenha sempre em mente que ter conhecimento não é o suficiente. Você precisa conduzir campanhas por seus canais digitais e entender quais estão funcionando, quanto tráfego e engajamento pode ser atribuído a cada uma delas. Ou seja, todos os dados precisam levar à uma ação, que será guiada por uma métrica específica. Compreender essa lógica é o melhor jeito de começar a trabalhar com marketing analytics.

 

Quer aprofundar nesses conceitos? Vem entender mais de Google Display and Search no curso da Mastertech!

 

Marketing analytics: não se pode melhorar o que não se mede
Avalie esse post
Você pode também gostar