Imunização Racional #1 – Aprender a Programar Sozinho

Perdi as contas de quantas vezes já me fizeram essa pergunta. Tenho essa resposta praticamente no ctrl+c ctrl+v, mas isso não quer dizer que seja uma receita. Longe disso! São alguns anos estudando e observando muita gente aprendendo e ensinando sobre programação. 

Não vou colocar aqui links específicos ou produtos para você comprar. Se você quer isso pode parar aqui. 

Não gostaria e não vou te enviesar. Minha intenção é suportar o seu raciocínio e te ajudar a montar sua própria jornada.

Vamos lá. São 5 aspectos que você precisa considerar.

Programação é  algo muito amplo

A gente ouve e fala sobre tecnologia como algo que fosse uma entidade. Cometemos o mesmo erro com programação. Hoje eu dividiria programação em pelo menos 5 grandes áreas:

mobile, web, dados, DevOps e segurança. 

O fato aqui é, que quem sabe de uma pode não manjar nada de outra. Resta para você escolher qual dessas áreas seguir, qual delas você se gosta mais e em qual delas você quer se destacar.

PS.: pode apostar que cada uma delas tem mais umas 5 a 10 subdivisões.

PS.2: Se eu pudesse fazer uma descrição bem generalista de cada uma delas seria:

    –  mobile: fazer aplicativos para smartphones e dispositivos vestíveis em geral.

    – web: conseguir criar interfaces via internet com usuários espalhados por aí. Desde sites até plataformas mais complexas se tornam possíveis com esse conhecimento.

    – dados: muitos dados são gerados por muitas pessoas, como tirar informação de qualidade de tudo isso? Essa será sua missão se quiser se dedicar à área de programação no recorte de dados

    – DevOps: como fazer milhões de usuários conseguirem acessar o Google? Como fazer o Skype funcionar tão bem em reunião de duas pessoas ou de 20 pessoas? 

    – segurança: a gente vive em rede e em rede viveremos, quem consegue garantir que essas comunicações não são perigosas? Como podemos controlar sub redes que disseminam o mal? Como podemos testar nossos sistemas de pessoas que querem se aproveitar? Um profissional de segurança vai viabilizar algumas dessas respostas. 

Siga lendo para ver por onde eu começaria : )

O que eu já sei, como isso me ajuda?

Se você já se sente confortável seguindo tutoriais no mundo digital, isso já é meio caminho andado. Se quando surge uma emergência no seu chuveiro, você corre pro YouTube, vê um tutorial e tenta arrumar, começou bem! É só essa pró-atividade que importa em qualquer jornada de aprendizado autônoma.

Se você já é proativo, há outras coisas te ajudam em cada uma das áreas específicas. Quer dizer que vai ser muito mais fácil para você? Não! No entanto, a porta fica um pouco mais aberta.

Vamos lá, para mobile e web quanto mais repertório de produtos digitais e lógica você tiver melhor. Afinal, o foco dessas áreas é conseguir achar as melhores formas de entregar serviços via internet.

Se você é matemático, estatístico ou sabe usar o Excel muito bem, dados pode ser uma ótima pedida, afinal você vai ganhar poder computacional para atividades que você já faz. É quase como ganhar um super poder.

Já DevOps e segurança são áreas que nasceram com programação, fica difícil criar qualquer relação com alguma outra área específica. Eu diria que aqui vale a curiosidade e  gosto pelo estudo.

Como se manter motivado ao estudar algo complexo?

Não é super simples programar, exige algo chamado pensamento computacional que reúne algumas habilidades não tão triviais; como abstração e modelagem. Então como você pode se manter motivado nessa dificuldade toda? Escolha uma missão.

Pense em algum resultado ou projeto que esteja diretamente relacionado com a sua motivação de aprender. Tente relacionar cada conquista ou dificuldade com isso. Se você quer fazer uma plataforma de adoção de animais abandonados e você pretende ter um site, já use isso como ponto de partida. Estude web e procure aprender uma tag nova para já aplicar nele. Entendeu? 

PS.: se seu objetivo é arrumar emprego e conseguir aumento de renda também está valendo. Procure se informar sobre o número de vagas, os salários e as empresas com vagas abertas, já faça seu portfólio pensando nisso.

Funciona na maioria dos casos

Se eu não sei nada de nada, começaria por programação para web. Isso pode soar um tanto quanto partidário? Sim! Mantenho minha resposta e vou me defender. 

Especificamente front end, ou seja, aprender a fazer sites e a parte visual de plataformas, facilita, justamente porque a gente vê o que está fazendo sem qualquer necessidade adicional. Você programa e vê se deu certo ou não! Isso torna o processo de aprendizado um pouco mais fluido.

Quando digo front-end, digo HTML e  CSS pelo menos. Depois entram Javascript e algum dos frameworks famosinhos. Meu preferido é react. Depois de dominar o front, partir para back-end parece óbvio, nem que seja para entender como tudo funciona e facilitar a vida dos seus colegas. Eu sou defensora de Python, que é extremamente didática, tem muito conteúdo na internet e já te abre espaço para o mundo de dados se um dia você quiser : )

Enfim, resumindo na minha ordem sugerida e totalmente parcial: HTML, CSS, Javascript, Python e React.

Eu faria isso de maneira circular. O que isso significa? Fica básico em todos e volta iterando conhecimento, senão um vai limitar o outro e a visão do todo demora muito pra acontecer.

Como saber se eu sei que atingi um nível satisfatório? 

Se eu te falar que eu nunca achei que estava pronta, você acredita? 

Pois é, tecnologia muda muito e todo dia você vai ter dificuldade de fazer alguma coisa. Algo que sempre funcionou vai quebrar, ou você vai achar uma forma melhor de fazer algo. Ou seja a resposta é nunca.

No entanto, isso pode ser usado a seu favor, afinal se você nunca está pronto, os outros também nunca estão. Eu diria que a minha métrica empírica é: tenha 3 projetos que você se orgulhe publicados em algum ambiente público. Independente da área e do seu currículo. Com esses 3 cartões de visita seu futuro contratante consegue saber do que você entende.

Quanto tempo eu preciso para ter 3 projetos que eu me orgulho publicados? Depende de você e do seu rigor com você mesmo. Estudando todo dia, nossa experiência aqui na Mastertech é de aproximadamente 2, 3 meses de dedicação quase integral para que os primeiros passos mais firmes e profissionais comecem a se tornar publicáveis.

Reparem que eu não coloquei nenhum link e nenhum produto específico. Nosso intuito nessa série é suportar suas próprias decisões e não tomá-las por vocês.

Espero ter te ajudado nesse momento de turbulência e reflexão. Bons estudos!

Imunização Racional #1 – Aprender a Programar Sozinho
Avalie esse post