Você pode estar pensando: “mas nós não devemos construir coisas que encantem os usuários e os ajudem a atingir suas metas?” Claro, mas isso não significa que você precisa construir exatamente o que eles pedem.

 

Muitos designers de UX estão apenas obtendo feedback do usuário e implementando imediatamente o que eles dizem sem pesquisa, questionamento ou pensamento suficiente. É como quando uma criança quer doces para o almoço, mas os pais insistem em uma refeição mais saudável porque é disso que o garoto precisa.

 

As pessoas na vida cotidiana não sabem exatamente o que precisam, elas apenas dizem o que pensam que querem como resposta às suas emoções. As pessoas nem sempre fazem o que dizem e raramente sabem como vão agir no futuro. Esse tipo de coisa acontece o tempo todo quando alguém usa um produto.

 

A hierarquia de necessidades de Maslow

 

Já foi estabelecido que os usuários têm maior probabilidade de escolher produtos que atendam às suas necessidades do que aqueles que atendem às suas vontades. Abraham Maslow desenvolveu um profundo entendimento das necessidades humanas e como elas poderiam ser atendidas.

 

Abraham Maslow, psicólogo americano, criou a pesquisa mais famosa que examinou a motivação humana. Em 1943 ele publicou seu artigo: “Uma Teoria da Motivação Humana”. Neste artigo, ele revelou sua compreensão das necessidades humanas e propôs que elas formassem uma hierarquia do mais básico ao mais complexo.

 

ux design

 

Ele sugeriu que, para que um ser humano se satisfizesse, deveria atender a todas as suas necessidades. No entanto, as necessidades mais básicas devem ser satisfeitas antes que as necessidades de nível mais alto possam ser satisfeitas também.

 

Você pode usar a hierarquia de necessidades de Maslow em um contexto de design para oferecer experiências de usuário mais poderosas que atendam às necessidades do usuário em vez das vontades do usuário. Se você quiser que seus usuários aceitem seus produtos, eles precisam estar motivados para isso.

 

Não tente descobrir o que o público quer, entenda porque ele quer

 

Assim como na hierarquia de Maslow, é essencial que um projeto atenda à menor necessidade na pirâmide antes de progredir para atender a outras necessidades. Essas menores necessidades dizem respeito à:

 

Funcionalidade

 

Para que um projeto atenda a qualquer necessidade, ele deve funcionar e deve atender às necessidades básicas do usuário. No entanto, se isso é tudo o que faz, pode muito bem ser visto como tendo pouco valor para o usuário a curto ou longo prazo.

 

Confiabilidade

 

O próximo passo é que o seu design funcione de maneira confiável e apresente uma experiência consistente. Isso pode aumentar a percepção do usuário sobre o valor do seu produto como um produto puramente funcional, mas também não adiciona grandes quantidades de valor.

 

Usabilidade

 

Então, além disso, um design deve ser simples de usar e perdoar relativamente o erro do usuário. Quando você atende a essa necessidade, o produto provavelmente será considerado de valor médio pelo usuário.

 

Proficiência

 

Um projeto que ajuda o usuário a fazer mais ou obter mais é aquele que pode ser desejado como de um alto nível de valor e atende às necessidades do usuário com mais eficiência.

 

Criatividade

 

O passo final na pirâmide de design é criar produtos que preencham todas as outras necessidades e sejam bonitos não apenas em forma, mas também em interação e função. É onde o maior valor do usuário é colocado.

 

Uma boa saída para conseguir alcançar todos esses níveis é não confiar somente em pesquisas de resposta escritas ou faladas, mas principalmente em testes de usabilidade. Trabalhar com UX design é fundamentalmente isso: ver o que o seu usuário faz ao entrar em contato com suas telas.

 

Quer aprofundar mais nesse assunto? Conheça o curso imersivo de UX e descubra soluções que realmente agregam valor ao seu público!

 

UX design: o que o público quer versus o que ele precisa
Avalie esse post
Você pode também gostar