Dos filmes ao seu negócio, contar histórias é uma das ferramentas de marketing de conteúdo mais poderosas da atualidade. O storytelling provoca emoções e cria uma conexão entre as empresas e seu público de uma forma que nenhum anúncio simples consegue.

 

Além disso, não é tudo sobre a empresa e mostrar seus produtos ou serviços. O storytelling mostra experiências da vida real com as quais todos podemos nos relacionar como indivíduos, mães, pais, irmãos, irmãs, amigos, colegas, etc.

 

Criar essa conexão é o que torna as histórias de marca inesquecíveis e bem-sucedidas porque elas conseguem capturar seu coração ou sua mente. E se você não pode pegar o coração ou a mente das pessoas, elas não vão prestar atenção em você.

 

Criar uma história convincente é uma arte e, com algumas técnicas apropriadas, ela pode ser dominada.

 

1. Entenda seu público

 

Conhecer os pontos problemáticos do seu público-alvo e o que eles valorizam irá ajudá-lo a contar a história certa. Descubra quais tópicos interessam ao seu público-alvo ou quais são as outras marcas e pessoas em quem eles confiam. Tente determinar se há alguma experiência compartilhada para destacar.

 

Entender realmente com quem você está falando é um primeiro passo crucial na sua jornada de contar histórias. Certifique-se de encontrar um terreno comum com as pessoas a quem você está apresentando. Um terreno comum ajuda a criar empatia. Se um público puder se relacionar com a história que você está contando, ele terá empatia com você e poderá começar a se importar.

 

2. Conheça sua mensagem

 

Certifique-se de entender o que você está tentando transmitir para o público e como sua história se relaciona com a ação que você quer que ela faça. Como você deseja que o público se sinta sobre sua mensagem? É claro que em algum momento do ciclo de vendas, sua apresentação precisa cobrir os recursos do produto.

 

E em algum momento da reunião de lançamento do projeto, as partes interessadas precisam ouvir fatos e números. No entanto, essa informação deve ser entregue de uma forma interessante para torná-lo memorável. Em vez de compartilhar histórias sobre os resultados numéricos que um líder espera, desenvolva narrativas claras que permitam às pessoas ver e sentir como será a jornada para chegar ao objetivo.

 

3. Garanta que sua história tenha uma estrutura

 

Uma história deve incluir períodos de tempo e nomes específicos, além de caracteres relacionáveis. Ela precisa ter um começo (configuração), um meio (contraste ou conflito) e um fim (resolução e conclusões importantes). O contraste na história cria drama. As frustrações atuais que seu público enfrenta podem ser contrastadas com o futuro brilhante que está à frente.

 

O conceito de contraste é uma técnica que sempre ressoa com as pessoas. O caminho antigo versus o novo caminho. Antes vs. depois. Com vs sem. Todos entregam uma forma de contraste que ressoa com o cérebro humano.

 

4. Seja autêntico

 

A contação de histórias dentro do design e dos negócios não deve ser fictícia. Se o público puder se relacionar com uma história da vida real, você estará estabelecendo uma conexão e construindo confiança. E as pessoas gostam de fazer negócios com empresas nas quais confiam. Os usuários sentem a autenticidade e, se não sentirem, rejeitarão a história.

5. Use um tom de conversa

 

Use um tom de conversa e palavras comuns para ajudar seu público a se relacionar com você e sua marca. Você vai se deparar com amigos e colocar o público à vontade. As histórias devem ser mantidas simples. Você deve falar com o público de negócios como se estivesse falando com seus amigos ou familiares. Você não precisa procurar em um dicionário de sinônimos apenas porque está apresentando um contexto de negócios.

 

6. Lembre-se que o público é o herói

 

O produto não deve ser o herói, nem o apresentador. Seu público deve ser capaz de se ver como o herói em sua história. Eles podem se relacionar com a experiência que você está contando? É importante para as empresas contar histórias através de um ótimo conteúdo. Mas o negócio precisa agir como o mentor e permitir que o cliente se veja na história como o herói.

 

7. Seja visual

 

Inúmeros estudos revelam que o uso de recursos visuais ajuda a melhorar o envolvimento e a retenção. A narrativa visual permite que dados complexos sejam divididos em partes menores e mais fáceis de memorizar. Dê à sej design uma nova dimensão com imagens relevantes, GIFs animados ou vídeos curtos que guiam a narrativa da sua história.

 

As histórias são mais sobre quadros do que palavras. Quando você consegue ver a história acontecendo, você obtém o melhor impacto. A maneira mais fácil de tornar uma história mais visual é aumentar o zoom em pequenos momentos, em vez de ficar no nível estratosférico.

 

8. Faça conexões humanas e emocionais

 

Mais do que o visual, as emoções também aumentam a retenção. Além disso, as emoções desempenham um papel vital na tomada de decisões. Suas descobertas têm grandes implicações para os apresentadores que estão tentando persuadir o público a agir.

 

Entregue seu conteúdo, entregue a mensagem que você sabe que tem para entregar, mas mantenha seu coração aberto para que seu público sinta quem você é. Seja acessível, crie uma conexão alinhada com sua marca e pense no que deseja que o público sinta.

 

9. Venda sua história, não seu produto

 

É claro que você tem que acreditar no que você está vendendo ou oferecendo, caso contrário, você corre o risco de sua história não aparecer de uma maneira genuína. No entanto, as pessoas realmente não compram um produto, serviço ou ideia. Elas compram a história que é anexada a ela. Sua história deve se concentrar no resultado que o público precisa.

 

Aperfeiçoar as técnicas de contar histórias é um investimento tanto no nível pessoal quanto no comercial, mas que certamente dará retorno. A necessidade de apresentar histórias visuais mais atraentes é essencial para diferenciar seu design. Quer entender onde e como utilizar a ferramenta do Storytelling? Acesse aqui a nossa live online e gratuita sobre o assunto!

 

9 técnicas de storytelling para melhorar seu design
Avalie esse post
Você pode também gostar