Um bom design começa com uma pesquisa de UX completa do usuário. Sem pesquisa suficiente, é impossível distinguir entre um produto que simplesmente parece ser bom e outro que resolve um problema real do usuário.

 

Se você está lançando um novo produto ou redesenhando um já existente, é essencial envolver-se com usuários reais antes de fazer qualquer outra coisa. Se você pular esse passo crucial e mergulhar direto no design e na produção, você estará essencialmente baseando suas decisões em suposições.

 

E se você trouxer seu produto para o mercado apenas para descobrir que supôs errado? Você terá que voltar o produto para a prancheta, tendo perdido tempo, recursos e dinheiro desnecessariamente. A pesquisa de usuários conduzida da maneira certa, no momento certo, é a única maneira de evitar isso.

 

Aqui estão alguns métodos-chave de pesquisa com usuários e como extrair o máximo valor de sua pesquisa de UX.

 

O que é pesquisa de UX?

 

Pesquisas com usuários focam na compreensão dos comportamentos, necessidades e motivações do usuário por meio de técnicas de observação, análise de tarefas e outras metodologias de feedback. Ou seja, é o processo de entender o impacto do design em um público.

 

Na fase de pesquisa do usuário, o designer de UX ou pesquisador de UX emprega uma gama de métodos e técnicas diferentes para conhecer o usuário final. Os métodos de pesquisa de UX se enquadram na categoria quantitativa ou qualitativa. A pesquisa quantitativa produz resultados numéricos mensuráveis, enquanto a pesquisa qualitativa se concentra nas razões e motivações por trás do comportamento do usuário.

 

Por exemplo, você conduziria pesquisas quantitativas para ver quantos usuários clicaram em um botão de CTA em seu website. Para descobrir por que alguns usuários clicaram e outros não, você precisaria realizar uma pesquisa qualitativa.

 

Em suma, a pesquisa quantitativa pode dizer o que está acontecendo, enquanto a pesquisa qualitativa pode lhe dar uma ideia do motivo pelo qual isso está acontecendo. Alguns dos métodos mais comuns de pesquisa de UX incluem entrevistas face-a-face, pesquisas com usuários e questionários, classificação de cartões, testes de conceito, grupos de usuários e testes de usabilidade.

 

Como obter o máximo valor de sua pesquisa UX

 

Nós falamos sobre como é importante conduzir pesquisas com usuários, mas também é necessário fazer as coisas do jeito certo. Você precisa ter certeza de que a pesquisa tem um impacto real na sua organização e no seu produto final. Para isso:

 

1. Conduza a pesquisa de UX logo no começo

 

A pesquisa de usuários é valiosa em todas as etapas do processo de design. No entanto, quanto mais cedo você fizer isso, mais impacto terá no produto final. O maior erro que uma equipe de design pode cometer é negligenciar completamente a fase de pesquisa da experiência do usuário. Se você começar tarde demais, corre o risco de perder percepções cruciais enquanto ainda tem tempo para agir sobre elas.

 

Não comece a projetar antes de conhecer seu público. Realize uma extensa pesquisa de usuários logo no início do processo e use as informações coletadas para tomar decisões lógicas. Dessa forma, você reduz a necessidade de voltar e fazer alterações, garantindo que o produto final seja focado no usuário desde o primeiro dia.

 

2. Defina metas concretas

 

Você sabe que precisa conduzir pesquisas com usuários e está familiarizado com os métodos e técnicas à sua disposição. Para extrair o máximo valor desta pesquisa, você precisa definir uma missão clara com objetivos concretos. Isso significa formular as perguntas certas e definir o escopo do seu trabalho. O que você está tentando resolver e por quê?

 

As perguntas que você faz dependem das especificidades do projeto. Se você estiver redesenhando um aplicativo existente, fará perguntas diferentes do que se estivesse projetando um novo aplicativo do zero. Qualquer que seja o objetivo, é essencial fazer perguntas claras que se prestem a respostas definitivas e mensuráveis. Quanto mais claras suas dúvidas e objetivos, mais fácil será encontrar as respostas.

 

3. Escolha seus métodos de pesquisa UX com sabedoria

 

Com seus objetivos e resultados desejados em mente, é essencial escolher os métodos de pesquisa de UX que conduzirão aos resultados mais úteis. Não fique apenas com alguns truques experimentados e testados que você usa sempre. Escolha sabiamente com base no contexto do seu projeto.

 

Como você identifica os melhores métodos? De acordo com a Nielsen Norman Group, ajuda considerar cada método possível juntamente com uma estrutura tridimensional com os seguintes eixos: Atitudinal x comportamental; qualitativo x quantitativo; e contexto de uso.

 

A dimensão atitudinal versus comportamental distingue entre o que as pessoas dizem e o que elas realmente fazem. A pesquisa atitudinal explora as crenças do usuário e os modelos mentais existentes, ou seja, como eles acham que se comportariam em determinados contextos. Os métodos de pesquisa comportamental, por outro lado, afastam-se do comportamento autorreferido e, na verdade, observam o usuário em ação.

 

Como mencionado anteriormente, os métodos de pesquisa qualitativa mostrarão por que o usuário se comporta de determinada maneira, ao passo que os métodos quantitativos lhe fornecerão números concretos e estatísticas com as quais trabalhar. Contexto é sobre se os participantes estarão ou não usando o produto ou serviço como parte de sua pesquisa e, em caso afirmativo, como o usam.

 

Não se apresse em sua pesquisa de usuários. Considere se os métodos que você está usando são realmente os mais eficazes para o seu projeto específico.

 

4. Compartilhe suas descobertas

 

Uma coisa é conduzir pesquisas com usuários e reunir tudo o que você precisa saber sobre seu público-alvo. O próximo desafio é comunicar essas descobertas e garantir que elas forneçam valor aos principais interessados, incluindo colegas designers, gerentes de produto e desenvolvedores.

 

Depois de analisar os resultados da fase de pesquisa do usuário e tirar conclusões, é necessário encontrar a melhor maneira de apresentá-los aos seus colegas. É crucial que qualquer pessoa envolvida no processo de design não apenas entenda suas descobertas, mas acredite nelas e saiba como agir de acordo com elas.

 

Certifique-se de documentar sua pesquisa completamente. Dessa forma, será mais fácil transformar todo o processo em uma apresentação ou arquivo que possa ser consultado por outras partes interessadas. Quando se trata de entregar seus resultados, considere a quem você está dando esses resultados e em que contexto.

 

Qualquer que seja o método de entrega que você usar e quem quer que esteja vendo suas descobertas, esteja pronto para apoiar suas hipóteses com fatos e justificar seu raciocínio. Quanto mais convincentemente você mostrar seus resultados, mais fácil será colocar o resto da equipe a bordo.

 

5. Lembre-se: a pesquisa de UX nunca termina

 

Já exploramos por que a pesquisa sobre UX é tão crucial no início de qualquer projeto de design, mas a verdade é que a pesquisa do usuário nunca para. Como pesquisador ou designer de UX, você é a ponte entre o cliente e a marca. Você nunca deve parar de aprender com seus usuários;

 

À medida que o mercado evolui e a tecnologia muda, o produto também precisa acompanhar esse processo. Até mesmo seu público pode mudar com o tempo, por isso é crucial garantir que você não esteja contando com insights desatualizados que não são mais relevantes. Mantenha um diálogo constante com seus usuários e torne a pesquisa sobre UX parte de sua estratégia de design de longo prazo.

 

Se você quiser saber mais sobre o relacionamento entre produtos e usuários e onde a pesquisa do usuário se encaixa no processo de design UX, aprenda mais sobre os fundamentos do design UX aqui!

 

Como conduzir uma pesquisa de UX para resultados incríveis
Avalie esse post
Você pode também gostar