#curadeconteudo – Cura eu.

Como curar? E o que curar?

Tem um novo vírus no ar, e dizem tanto sobre ele, que o risco hoje não é apenas entender sobre a cura médica, mas também sobre a cura de conteúdo.

De conteúdo?

O ato de se informar regularmente implica responsabilidade e aquilo que consumimos tem o poder de nos moldar intelectualmente.

Fazendo um paralelo com alimentação, é preciso entender o nível de contaminação e toxicidade que uma informação pode conter.

A partir de hoje, a Mastertech vai tentar semear alguns bons conteúdos por aqui, oferecendo uma curadoria semanal sobre coisas que julgamos relevantes, tanto em contexto quanto em forma.

As 3 dicas de hoje são do mesmo veículo, a Revista Piauí.

Permita-se olhar além dos filtros polarizadores, e tente compreender como certos organismos de comunicação produzem conteúdo.

No caso da Piauí, são sempre reportagens, análise, perfis e estudos de fôlego, desde a construção da narrativa, passando pelo cuidado de pesquisa, pelo equilíbrio opinativo e por criteriosa checagem de fatos e de evidências.

Tem estilo, forma, ciência e tem também procedimentos técnicos adequados a cada tipo de conteúdo produzido.

Ler a Piauí permite estar próximo da efervescência cultural, social e política de uma época, sem que isso signifique se precipitar em consumos superficiais.

Dos artigos que selecionamos, podemos dizer que estão intrinsecamente ligados.

Vamos dizer o mínimo, apenas para contextualizar.

O primeiro trata de algoritmos, mas não apenas no sentido técnico e mecânico, e sim quanto às implicações em nosso jeito de se vincular com conteúdos, de interpretar coisas e de criar uma teia que pode se revelar frágil, pobre e até mesmo perigosa.

O segundo artigo é sobre a matemática do coronavírus e aqui temos dados, evidências e interpretações técnicas, médicas e científicas sobre a letalidade do vírus, seu potencial de transmissão e também sobre sua origem histórica, a forma como foi dissipado e como o uso de dados ajuda na formulação de modelos preditivos de propagação.

Claro e didático.

Por fim, o maior deles, uma leitura realmente de fôlego, trata de Jeff Bezos, uma das figuras centrais na dinâmica econômico-digital que observamos no mundo hoje.

Bezos construiu um dos maiores condutores, conectores e organizadores de dados do mundo. Ele e sua criatura, a Amazon, estão em tudo e se espalham mais rápido que qualquer vírus, apoiado por algoritmos assustadoramente influentes. E isso é apenas uma das facetas desse colosso corporativo, cujas ambições são interplanetárias. Literalmente.

Aproveite os 3 artigos e comece a curar você mesmo seus conteúdos.

Seu pensamento crítico é teu.

Terceirizar é uma escolha, mas as escolhas não devem ser aleatórias, assim como, definitivamente, não são aleatórios os vírus, os algoritmos e Jeff Bezos.

Tem método. Tem tratamento.

Boa leitura.

Boa cura pra vocês.

Deixe uma resposta